Entrada Franca

Loading...

sábado, 11 de junho de 2011

Facada na democracia

24/11/2004 

A Rede Globo, ontem, e os grandes jornais, hoje, aquela em formato de “editorial”, estes em matéria paga de página inteira, noticiam a grande novidade na área do audiovisual: a fundação do FAC (Fórum do Audiovisual e do Cinema), um sindicato patronal, de âmbito nacional, cujos objetivos, expressos em 12 artigos, ao fim das contas, são o de defesa de interesses oligopolistas.

A entrada em cena com espalhafato de página inteira não é sem propósito: trata-se uma demonstração de força e uma sinalização pouquíssimo sutil do que o MinC enfrentará da parte dos latifúndios da mídia em se tratando dos projetos que envolvem democratização do audiovisual, particularmente do que cria a ANCINAV.

Capitaneada pela Rede Globo, essa entidade é uma verdadeira UDR do audiovisual e concentra um poder de fogo ameaçador, que será mobilizado sempre e em toda sua magnitude tão logo entenda ameaçados seus interesses.

Nos artigos que estatuem esse FAC a palavra liberdade é uma isca para incautos, e a arrogância transparece quando, ainda em termos ambíguos, procura-se dizer ao Estado qual seu papel na economia do audiovisual, numa inversão de papéis típica de instituições reacionárias que consideram o Estado um mero intermediário subalterno de seus interesses.

A prepotência desse novo sindicato patronal vai ao ponto de colocar-se como o interlocutor e o representante do segmento em âmbito nacional. Ora, é óbvio que ONGs, sindicatos de trabalhadores, entidades representativas de segmentos marginalizados pelos oligopólios etc. não se fazem representar por semelhante Fórum, por motivos óbvios: a democracia por ele defendida é a de o tubarão devorar os menores, sua liberdade é a do mais forte esmagar o mais fraco, seu entendimento acerca do Estado é o de que este é um instrumento por meio dos quais os mais ricos escravizam os mais pobres.

As entidades que lutam pela democratização do audiovisual precisam articular-se urgentemente, pois o que as espera é uma luta desigual. E não se tenha dúvida, está-se a travar uma das principais lutas deste governo Lula, luta que tem caráter estratégico e cujos resultados se desdobrarão no tempo, com impacto profundo na sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário